Projeto Vida: Para além do acesso à moradia

Projeto Vida: Para além do acesso à moradia

Projeto Vida: Para além do acesso à moradia

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1948, delineia no seu artigo 25 que “toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e à sua família, saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, moradia, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis”. Reafirmando tal premissa, a Agenda 2030, elaborada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a partir do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 11, propõe “garantir o acesso de todos à habitação segura, adequada e a preço acessível, e aos serviços básicos […]”.

A Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, enquanto organização da sociedade civil, atua, há 28 anos, acolhendo crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas crônica e seus familiares, antes, durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuído com o resgate da cidadania, dignidade e qualidade de vida.

Entre suas ações institucionais, desenvolve, desde 1998, o Projeto Vida, que oferta aos pacientes e suas famílias o acesso à moradia adequada e, por conseguinte, condições habitacionais que visam uma melhor resposta ao tratamento, na perspectiva da construção de condições mais justas e igualitárias.  

Pela natureza institucional e pelo público alvo, na sua maioria em situação de vulnerabilidade social e/ou econômica, são realizadas construções e reformas das moradias a partir da análise de dados dos pacientes, preenchido durante as visitas in loco. Ressalta-se que, ao longo do Projeto Vida, foram construídas 109 casas e reformadas 142.

Para tal, o setor do Serviço Social realiza visitas domiciliares aos pacientes ativos, aproximadamente 350, ao ano, residentes nos municípios do estado do Rio Grande do Norte, enquanto estratégia interventiva para o levantamento da realidade das crianças e adolescentes – aspectos socias, ambientais, econômicos, psicológicos e demais fatores, que envolvem todo o núcleo familiar – que podem impactar no tratamento e comportamento, durante a estadia na Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva.

Por Ana Carolina Galvão – Assistente Social Casa Durval Paiva – CRESS/RN 3731