Quem são os pacientes da Casa De Apoio à Criança Com Câncer Durval Paiva?

Quem são os pacientes da Casa De Apoio à Criança Com Câncer Durval Paiva?

Quem são os pacientes da Casa De Apoio à Criança Com Câncer Durval Paiva?

A Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva foi fundada no dia 11 de julho de 1995 e, em 2023, faz 28 anos de história. A instituição foi criada para acolher crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas crônicas. Desde então, já atendeu mais de 1800 crianças e adolescentes do Estado do Rio Grande do Norte, bem como, de outros estados, como Paraíba, Ceará, Piauí, Bahia, Pará e Sergipe.

A instituição carrega na bagagem muitas histórias de lutas, conquistas e superação. Afinal, quem são os pacientes que a instituição acolhe?

Atualmente, a Casa Durval Paiva atende a 407 pacientes ativos e em tratamento, desses, 258 casos oncológicos, 144 hematológicos e 5, em investigação. São crianças e adolescentes, que chegam à instituição encaminhados, com diagnóstico de câncer, pela Liga Contra o Câncer – Hospital da Policlínica, também, pacientes com diagnóstico hematológico, oriundos do Hemonorte.

São famílias que chegam cheias de dúvidas, abaladas, ansiosas e tristes, diante de um diagnóstico. Elas chegam à instituição necessitando de suporte e apoio para iniciar o tratamento. Estas, possuem perfis diversificados, alguns com renda per capta de menos de um salário mínimo, que dependem, diretamente, do Sistema Único de Saúde – SUS, para ter acesso ao tratamento. Outras, com renda familiar superior a 3 salários mínimos, plano de saúde, mas que necessitam de suporte.

Assim, percebemos que os casos de doenças oncológicas ou hematológicas acometem as diversas classes sociais e o poder aquisitivo não impede um diagnóstico positivo.

Dessa forma, o público alvo da Casa Durval Paiva não compreende, apenas, famílias em situação de vulnerabilidade social e não existe distinção de renda, cor, gênero ou raça. Os pacientes e seus familiares são acolhidos e atendidos como sujeitos de direitos, em busca de um tratamento digno e a cura da doença. São famílias que sofrem as diversas transformações nesse processo e que tem um objetivo em comum: a cura.

O serviço social é o setor que acolhe e realiza o cadastro de tais pacientes, no momento da entrevista social, apreendemos as mais diversas demandas e acompanhamos durante todo o processo, nos atendimentos sociais diários e nas visitas domiciliares conhecemos as condições de moradia, as famílias e a rede de apoio, na busca pela garantia de direitos, nosso principal papel.

Por Keillha Israely – Assistente Social Casa Durval Paiva – CRESS/RN 3592